DESTAQUES

Hoje é Dia do Sertanejo


Sabe por que se comemora o dia do sertanejo hoje? clique aqui.

Hoje é Dia do Sertanejo


Hoje é 3 de maio, Dia do Sertanejo, dia que muita gente passa por aqui pra saber exatamente o porquê dessa data.

Vou deixar mais abaixo a explicação, mas antes um vídeo que qualquer um deveria assistir. Bruno, voz e violão, cantando “Amante”, de Chitãozinho e Xororó.

___

Por que comemoramos o “Dia do sertanejo” em 3 de maio?

Aparecida-SP, cidade conhecida por sua questão religiosa, sempre recebeu caravanas de todos os tipos. Cantores e violeiros não ficavam de fora, e na década de 1960, organizavam viagens até a cidade, acompanhavam uma missa e se reuniam depois para tocar, sempre com suporte da Rádio Aparecida.

Acompanhando esses encontros esporádicos entre músicos, Geraldo Meirelles, comunicador importante na história da música sertaneja, teve a ideia de definir uma data específica para que sertanejos de todos os cantos fossem se encontrar em Aparecida. A intenção era de criar uma tradição.

O dia escolhido foi 3 de maio. O ano era 1964. Violeiros de todos os cantos foram chamados e, para que a reunião tivesse mais força ainda, a Rádio Aparecida organizou um show encabeçado por Tonico e Tinoco, que também contou com nomes como Liu e Léu e Irmãs Galvão.

Com o evento se repetindo todo dia 3 de maio, a data passou a ser difundida como “Dia do Sertanejo”.

A ideia foi seguida tão à risca que, amanhã, a cidade recebe a 52ª do show. São 52 anos mantendo a tradição.

É comum que se veja em alguns lugares, no dia 3, homenagens ao povo sertanejo, povo oriundo do sertão. Não há nada de errado nisso, embora a origem seja a história contada acima.

Se nossa música emprestou o termo “sertanejo” deles, nada mais justo que se utilizem dessa data para homenageá-los também.

Por que comemoramos o “Dia do sertanejo” em 3 de maio?


Amanhã, terça-feira, dia 3 de maio, é “Dia do Sertanejo”.

Estou escrevendo um dia antes por saber que muita gente passa no blog procurando informações sobre a data.

Já contei a história aqui, mas não custa relembrar.

Aparecida-SP, cidade conhecida por sua questão religiosa, sempre recebeu caravanas de todos os tipos. Cantores e violeiros não ficavam de fora, e na década de 1960, organizavam viagens até a cidade, acompanhavam uma missa e se reuniam depois para tocar, sempre com suporte da Rádio Aparecida.

Acompanhando esses encontros esporádicos entre músicos, Geraldo Meirelles, comunicador importante na história da música sertaneja, teve a ideia de definir uma data específica para que sertanejos de todos os cantos fossem se encontrar em Aparecida. A intenção era de criar uma tradição.

O dia escolhido foi 3 de maio. O ano era 1964. Violeiros de todos os cantos foram chamados e, para que a reunião tivesse mais força ainda, a Rádio Aparecida organizou um show encabeçado por Tonico e Tinoco, que também contou com nomes como Liu e Léu e Irmãs Galvão.

Com o evento se repetindo todo dia 3 de maio, a data passou a ser difundida como “Dia do Sertanejo”.

A ideia foi seguida tão à risca que, amanhã, a cidade recebe a 52ª do show. São 52 anos mantendo a tradição.

É comum que se veja em alguns lugares, no dia 3, homenagens ao povo sertanejo, povo oriundo do sertão. Não há nada de errado nisso, embora a origem seja a história contada acima.

Se nossa música emprestou o termo “sertanejo” deles, nada mais justo que se utilizem dessa data para homenageá-los também.

Dia do Sertanejo


Hoje é “Dia do Sertanejo”.

Como me pediram novamente para explicar sobre a data, deixo aqui um texto já postado algumas vezes no blog, que esclarece a questão.

___

Hoje, dia 3 de maio, é comemorado o “Dia do Sertanejo”.

Diversas cidades comemoram o “dia” em datas diferentes, por exemplo Maringá, que comemora no último domingo de setembro, de acordo com uma lei municipal.

Sempre houve muita confusão com a utilização de forma isolada do termo “sertanejo”, pois ele se refere mais ao povo do que à música. Atualmente, muitos preferem tratar a data como dia do povo sertanejo, de origem no sertão nordestino, mas a origem da data é mesmo musical.

Abaixo, segue a história de como 3 de maio virou “Dia do Sertanejo”.

Nos anos 1960, violeiros seguiam anualmente em caravana para a cidade de Aparecida, em São Paulo, para assistir a um dia de missas. Em 1964, Geraldo Meireles, o “Marechal da Música Sertaneja” (ná época ele estava começando a surgir no cenário sertanejo), propôs que os violeiros passassem a se encontrar todo ano em uma mesma data, para que pudesse ser instituído um “Dia do Sertanejo”.

Com a ajuda da Rádio Aparecida e a aceitação dos violeiros, no dia 3 de maio de 1964, Meireles levou a dupla Tonico e Tinoco para se apresentar na cidade.

Resultado: há 48 anos a tradição se mantém.

___

Em 1975, o deputado federal Jorge Paulo, do MDB, apresentou um projeto de lei que previa instituir nacionalmente o “Dia do Sertanejo” em 3 de maio, mas o projeto foi arquivado.

Hoje é “Dia do Sertanejo”


Hoje, dia 3 de maio, é comemorado o “Dia do Sertanejo”.

Diversas cidades comemoram o “dia” em datas diferentes, por exemplo Maringá, que comemora no último domingo de setembro, de acordo com uma lei municipal.

Sempre houve muita confusão com a utilização de forma isolada do termo “sertanejo”, pois ele se refere mais ao povo do que à música. Atualmente, muitos preferem tratar a data como dia do povo sertanejo, de origem no sertão nordestino, mas a origem da data é mesmo musical.

Abaixo, segue a história de como 3 de maio virou “Dia do Sertanejo”.

Nos anos 1960, violeiros seguiam anualmente em caravana para a cidade de Aparecida, em São Paulo, para assistir a um dia de missas. Em 1964, Geraldo Meireles, o “Marechal da Música Sertaneja” (ná época ele estava começando a surgir no cenário sertanejo), propôs que os violeiros passassem a se encontrar todo ano em uma mesma data, para que pudesse ser instituído um “Dia do Sertanejo”.

Com a ajuda da Rádio Aparecida e a aceitação dos violeiros, no dia 3 de maio de 1964, Meireles levou a dupla Tonico e Tinoco para se apresentar na cidade.

Resultado: há 48 anos a tradição se mantém, e na tarde de hoje, a partir das 15h, a Rádio Aparecida realizará o “Show Sertanejo” no auditório da Rede Aparecida de Comunicação.

___

Em 1975, o deputado federal Jorge Paulo, do MDB, apresentou um projeto de lei que previa instituir nacionalmente o “Dia do Sertanejo” em 3 de maio, mas o projeto foi arquivado.

“Virada Cultural” fará “Arraial da Inezita”. Sertanejo estará presente nos dois dias do evento


Neste final de semana (sábado e domingo, 20 e 21), acontece mais uma edição da “Virada Cultural” em São Paulo. Serão 24 horas de eventos culturais distribuídos pela capital.

Se em outros anos a “Virada” foi motivo de críticas aqui no blog, por praticamente ignorar o sertanejo, o motivo dessa postagem é bem diferente.

A música caipira terá um belo espaço por conta da homenagem a uma paulistana ilustre que nos deixou recentemente: Inezita Barroso.

Na Praça da República, a partir das 18h do sábado, tem início o “Arraial da Inezita”, com apresentações muito boas: Orquestra Paulistana de Viola Caipira, Zé Mulato e Cassiano, Pedro Bento e Zé da Estrada e Cézar e Paulinho, além de um show do Ricardo Vignini com o Índio Cachoeira.

Vale lembrar que um dos curadores da “Virada” de 2015 é Aloísio Milani, roteirista do “Viola Minha Viola”. Ponto pra gente.

Além do palco homenageando Inezita, ainda haverá, no sábado, às 20h, uma apresentação das Galvão no Sesc Consolação.

No domingo, às 16h, quem canta na “Virada” é Almir Sater, no Sesc Interlagos.

Ainda há algumas outras apresentações relacionadas à viola, pra quem é chegado a se aprofundar mais no uso do instrumento (aqui).

A programação completa pode ser conferida no site oficial do evento (clique aqui).

Feliz Dia dos Pais – Sertanejo


Dia dos pais, em vez de mais uma edição especial do programa “Universo Sertanejo“, vou citar três passagens atuais e bonitas que combinam com o dia de hoje.

Na última agenda feita pela dupla César Menotti e Fabiano, há uma charge que traz a dupla, o irmão Fábio, a mãe, e o pai Toninho do Ouro, falecido em junho do ano passado.

Figura indispensável na trajetória artística dos filhos, seu Toninho do Ouro recebeu uma homenagem que vem junto da charge:

“Desde a partida de nosso pai o Sr. Toninho do Ouro temos passado por momentos de superação, nosso conforto é a herança de honestidade, persistência e o sonhos realizados em nossas vidas deixada pelo grande homem que tivemos como pai!. Por isso, temos força para seguir aqui na terra o caminhou que ele traçou para nós.”

___

Lançado no ano passado, o CD “Lado A, Lado B”, da dupla João Carreiro e Capataz, traz uma canção chamada “Sarafa”.

João Carreiro fez a música em homenagem ao pai já falecido do Capataz, e gravou a canção sem contar ao seu parceiro, que chegou ao estúdio e se emocionou com a surpresa.

O apelido do pai do cantor era “Serafa” (José Alfredo Serafim), mas João Carreiro o chamava de “Sarafa”, por isso o título da canção.

___

Durante toda a última semana, o Shopping Paseo, em Salvador-BA, realizou uma exposição de desenhos do caricaturista Rodrigo Color. As caricaturas traziam pais e filhos ilustres. Uma delas nos diz bastante a respeito, e faz todo sentido hoje.

Dupla Conrado e Aleksandro mudará de formação


O cantor Conrado anunciou ontem (21), via Instagram, que está se aposentando dos palcos.

Com novos interesses particulares, ele decidiu seguir outros rumos e desejou boa sorte ao parceiro, além de ter agradecido aos profissionais que o acompanharam durante toda a carreira.

fbcnrConrado, à esquerda, que anunciou sua saída do projeto

A assessoria de imprensa divulgou uma nota oficial, hoje, detalhando a situação.

O nome Conrado e Aleksandro continua, agora, com um novo segunda voz.

A nota segue abaixo.

___

Conrado & Aleksandro em nova fase

Com 15 anos de carreira, a dupla Conrado & Aleksandro anuncia uma nova formação em 2019.

Reconhecida como uma das principais duplas do estilo grave, a atual parceria – com Conrado Bueno como segunda-voz – completa um ciclo de muitas conquistas. São quatro CDs, dois DVDs e mais de 15 músicas lançadas nas rádios e hits como “Só se For Gelada”, “Halls Preto”, “Camionete Inteira” e “To Bebendo de Torneira”. O mais recente single de trabalho é “Tereré e Narguilé” que soma mais de 1 milhão de visualizações no Youtube.

Conrado Bueno se despede da atual formação neste mês e se dedicará a projetos pessoais. Pai de um garotão de 2 anos, Conrado sentiu a necessidade de dedicar mais tempo à família, já que a vida na estrada requer muita doação do artista. Com uma média de 15 shows por mês, Conrado & Aleksandro no entanto continuará na ativa.

Parte fundamental e insubstituível da trajetória da dupla, Conrado inclusive faz questão de que a história de Conrado & Aleksandro continue, bem como o parceiro e toda a equipe C&A. Então, a partir de março de 2019 um novo cantor seguirá a caminhada ao lado de Aleksandro.

A nova formação manterá o nome Conrado & Aleksandro e já está em estúdio preparando um novo trabalho, previsto ainda para este semestre, com a preocupação de que se mantenha a essência e a identidade tão marcante do dueto formado em 2003 em Dourados (MS).

A todos os fãs de Conrado & Aleksandro, parceiros, imprensa, radialistas e contratantes, o agradecimento mais sincero pela parceira nos 15 anos de uma linda trajetória que está longe de acabar. Vem aí um novo capítulo dessa história.

Daniel ganha documentário sobre seus 30 anos de estrada


Deixo abaixo o texto oficial do documentário, que vai abordar todas as fases da carreira do Daniel, dos momentos mais tristes aos mais felizes.

___

dn

Daniel lança documentário, relembra momentos de superação na carreira e se emociona ao falar do amigo João Paulo

A pré-estreia do filme ocorrerá no dia 19 de Fevereiro, no Cinemark Eldorado, em São Paulo

A voz marcante, seu jeito carismático, as participações em novelas, filmes e ainda os grandes sucessos da carreira do cantor Daniel todos podem já saber. Agora, os fãs e até mesmo quem conhece apenas uma música ou outra, poderá saber mais sobre a história de vida, luta e superação do artista no documentário “DANIEL 30 ANOS NA ESTRADA”.

O média-metragem, com pré-estreia marcada para o dia 19 de fevereiro , às 20h, no Cinemark Eldorado, em São Paulo, para a imprensa e convidados, reconstitui a trajetória artística de Daniel mostrando os primeiros passos em direção à música, a parceria com João Paulo, as dificuldades antes da fama e a tragédia com a perda do amigo e companheiro de dupla. A partir daí, um novo recomeço, a consolidação de um trabalho consistente até a conquista de um lugar no topo do universo musical brasileiro. “Tenho certeza que cantar pra mim é mais que uma profissão, é uma missão que levo com muita responsabilidade e amor”, declara o cantor.

Com direção de Jeremias Moreira, roteiros de Vitor Alves e produção da JD Camillo, o filme conta com depoimentos de pessoas importantes, que tiveram uma participação significativa na sua trajetória como José Camillo e Maria Aparecida Camillo (pais do cantor), Renato Aragão, Xuxa, Manoel Nenzinho Pinto, Hamilton Policastro, Sérgio Reis, Cezar, da dupla Cezar & Paulinho, Rick, da dupla Rick & Renner, Peninha, As Galvão, Maestro Pinocchio, entre outros.

“É uma honra ter minha história contada dessa forma. O documentário retratou a minha carreira construindo cada etapa com depoimentos importantes, porque a gente não faz nada sozinho e com João Paulo & Daniel não foi diferente: muita gente fez parte da história da dupla”, confessa o cantor.

Para o diretor Jeremias Moreira “DANIEL 30 ANOS NA ESTRADA conta uma história real como se fosse um filme de ficção e serve de homenagem pessoal e exemplo para novas gerações”. “A vida se incumbiu de construir os elementos dramatúrgicos – os objetivos, os conflitos e os obstáculos, as vitórias e as conquistas. Está tudo lá e o resultado é um filme que emociona”, completou o diretor.

Bruno e Marrone gravam novo DVD em Uberlândia


Na segunda-feira da semana passada, dia 17, Bruno e Marrone gravaram um novo DVD.

WhatsApp Image 2018-12-18 at 20.21.56(1)

Sem grande alarde, eles registraram, em Uberlândia, o projeto “Studio Bar”, um acústico com 16 canções inéditas e 10 regravadas.

O DVD foi gravado no novo estúdio do Junior Melo, produtor musical da dupla, sem a presença de público (apenas com alguns amigos da cidade).

Nem todas as canções gravadas serão lançadas, haverá ainda uma seleção. É provavelmente o projeto mais ‘simples’ da dupla desde que eles despontaram nacionalmente.

Modesto, sem grandes invenções, o álbum foca nas interpretações da dupla, que é o que eles têm de melhor e o que mais tem funcionado com essa nova geração consumidora de música sertaneja.

A única participação foi de Jorge e Mateus, na canção “Surto de amor”.

WhatsApp Image 2018-12-18 at 20.21.55

A dupla aproveitou para comemorar os 25 anos do lançamento do primeiro álbum, lançado em 1994.

Eu fiz uma entrevista para o canal do YouTube deles, o material vai ser publicado junto com o lançamento do DVD.

WhatsApp Image 2018-12-18 at 20.21.56

Segue abaixo o repertório gravado. Repetindo, nem todas as canções serão incluídas.

Regravações

1 Por um minuto
2 Boate azul
3 A dama de vermelho
4 Te amar foi ilusão
5 Inevitável
6 Deixa
7 Por um gole a mais
8 Vida vazia
9 Bijuteria
10 Dormi na praça

Inéditas

1 Tapete de crochê
2 Só bebendo
3 Minha digital
4 Arroz de bar
5 Entre perdas e danos – Noite de azar
6 Gostinho de cerveja
7 Qualquer hora dessas
8 Enganando a despedida
9 Ressaca de amor
10 Show de recaída
11 Isca
12 Nem mais um passo
13 Por ti
14 Surto de amor
15 Fogo molhado
16 Quatro fases