Por que comemoramos o “Dia do sertanejo” em 3 de maio?

Amanhã, terça-feira, dia 3 de maio, é “Dia do Sertanejo”.

Estou escrevendo um dia antes por saber que muita gente passa no blog procurando informações sobre a data.

Já contei a história aqui, mas não custa relembrar.

Aparecida-SP, cidade conhecida por sua questão religiosa, sempre recebeu caravanas de todos os tipos. Cantores e violeiros não ficavam de fora, e na década de 1960, organizavam viagens até a cidade, acompanhavam uma missa e se reuniam depois para tocar, sempre com suporte da Rádio Aparecida.

Acompanhando esses encontros esporádicos entre músicos, Geraldo Meirelles, comunicador importante na história da música sertaneja, teve a ideia de definir uma data específica para que sertanejos de todos os cantos fossem se encontrar em Aparecida. A intenção era de criar uma tradição.

O dia escolhido foi 3 de maio. O ano era 1964. Violeiros de todos os cantos foram chamados e, para que a reunião tivesse mais força ainda, a Rádio Aparecida organizou um show encabeçado por Tonico e Tinoco, que também contou com nomes como Liu e Léu e Irmãs Galvão.

Com o evento se repetindo todo dia 3 de maio, a data passou a ser difundida como “Dia do Sertanejo”.

A ideia foi seguida tão à risca que, amanhã, a cidade recebe a 52ª do show. São 52 anos mantendo a tradição.

É comum que se veja em alguns lugares, no dia 3, homenagens ao povo sertanejo, povo oriundo do sertão. Não há nada de errado nisso, embora a origem seja a história contada acima.

Se nossa música emprestou o termo “sertanejo” deles, nada mais justo que se utilizem dessa data para homenageá-los também.

Comente!

___

1 Comment

Deixe um comentário