jorge e mateusArquivo

Alguns assuntos…


-Lembra deles?

Na última semana de dezembro, o TV Fama reapresentou uma matéria com a dupla Jean e Marcos (foi ao ar em agosto e eu não tinha visto). Quem acompanhava música sertaneja no início dos anos 1990, com certeza se lembra da dupla, lançada e empresariada pelo Gugu, que conseguiu emplacar muito bem a música “Tô morrendo de saudade”, que o pessoal mais jovem provavelmente conhece na regravação do César Menotti e Fabiano.

Praticamente 20 anos após terem sido lançados pelo Gugu, eles decidiram parar de cantar em 2011, depois de várias tentativas com outros empresários. O assunto principal da matéria é que o Marcos, o segunda voz, disse que havia um empresário muito bom com eles depois do Gugu (ele não cita o nome), mas de quem eles foram obrigados a se separar, pois o sujeito estava querendo algo mais “íntimo”.

Os irmãos, que foram descobertos pelo Gugu no orfanato em que viviam, hoje moram em cidades distantes. Jean trabalha como vendedor de TV por assinatura no Recife, e Marcos trabalha em uma loja de materiais de construção em São Paulo.

___

-Na água

Os portais têm mostrado com certo destaque várias fotos das férias do Neymar, em Santa Catarina. O jogador esteve na festa “Shed Al Mare” (balada na qual se chega de barco), no último fim de semana, que esse ano contou com apresentações de Henrique e Diego, Trio Bravana e Douglas e Murilo, além da participação ilustre do Gusttavo Lima. A “Shed” é uma boate sertaneja de Balneário Camboriú.

A festa, realizado pela boate, aconteceu em Porto Belo, cidade vizinha, em um local chamado “Caixa d’áço”, onde foi gravado o clipe de “If I catch you”, do Michel Teló. Pra ter uma ideia de como funciona a festa, segue um vídeo abaixo com a participação do Gusttavo.

___

-DVD com Serjão

No dia 16 de janeiro, em São Paulo, nos estúdios “Quanta”, a cantora Tuta Guedes grava o primeiro DVD da carreira, que terá a participação do Sérgio Reis. Pra quem não a conhece, ela é uma cantora sertaneja tem uma aproximação muito grande com o pop, um tipo de aposta também muito difícil, mas que conta com um bom investimento. Recentemente, ela lançou o clipe abaixo, da música “Test Drive”, gravado na Times Square, em Nova York, que dá um pouco da ideia do que é o trabalho dela.

___

-Jorge e Mateus

A dupla Jorge e Mateus lançou, no final do ano passado, um clipe ao lado do Maná. Eu havia postado a música aqui, mas como tive problemas pelo fato de ela ter sido vazada, acabei dando um tempo e não publicando o clipe. Segue abaixo agora, então, a parceria da dupla com a banda cantando “Você é minha religião”. A gravação do vídeo aconteceu no Teatro Brigadeiro, em São Paulo.

Três lançamentos


Três lançamentos para este sábado. Dois deles, do DVD da dupla Maria Cecília e Rodolfo.

Na época do DVD, cheguei a comentar que a música “Arrocha e vem comigo” poderia andar mais que as outras, por ser meio chiclete mesmo. Quem quiser conferir, ela é um dos lançamentos.

___

Da dupla, ainda tem a música “Só de pensar”, gravada ao lado de Jorge e Mateus, que começa com o Rodolfo fazendo a primeira voz.

___

O terceiro lançamento é de Israel Novaes, mais um música com perfil chiclete. A canção se chama “Vó, tô estourado”, e pode ser ouvida abaixo.

[uolmais type=”audio” ]http://mais.uol.com.br/view/13464426[/uolmais]

Sobre Jorge e Mateus e Lei Rouanet


Se a internet é positiva por conta da liberdade que nos proporciona, por outro lado pode ser um tanto perigosa quando usada de forma não muito positiva.

Depois de toda a polêmica envolvendo Ministério da Cultura e Michel Teló (o cantor pediu incentivo por meio da Lei Rouanet, não conseguiu e reclamou), resolveram resgatar uma história já noticiada, abordada, criticada e discutida.

Em março deste ano, o blog do Lauro Jardim, no site da Veja, noticiou que Jorge e Mateus conseguiram aprovação para captar R$4,3 milhões via Lei Rouanet.

Na semana passada, por conta do caso do Michel, resolveram tratar a notícia da dupla como novidade. E como ninguém se preocupa em pesquisar, o assunto rendeu. Só nesta imagem que está no final da postagem, que apareceu no meu Facebook dezenas de vezes, houve mais de mil compartilhamentos. O texto do “Virgula Música” inserido na imagem também é de março.

Não estou defendendo nem o Michel nem a dupla, mesmo porque acho que a Lei Rouanet deveria ter sido revista há muito tempo.

Só achei interessante explicar a história. O Barão Vermelho captou recentemente R$10 milhões (Rouanet + Ancine), a Xuxa conseguiu R$8 milhões, assim como diversos outros artistas, e não vi nenhuma barulheira por conta disso. Acho que vocês entenderam.

Jorge e Mateus: baixe o remix de "A Hora é Agora", que estará no "Pista Sertaneja 3"


A Som Livre lança, neste mês de outubro, a terceira edição do “Pista Sertaneja”, projeto que acabou dando muito mais certo do que a maioria imaginava.

Além de o número de vendas ser muito bom, os CD’s são também bastante baixados na internet, mesmo que, provavelmente na maioria das vezes, nem sempre de forma legal.

Aos que gostam do projeto, trago aqui uma exclusividade liberada pela gravadora, da terceira edição do “Pista Sertaneja”: o remix de “A Hora é Agora”, da dupla Jorge e Mateus. (há um outro remix no YouTube, mas não faz parte do projeto)

A música pode ser ouvida abaixo e baixada clicando aqui.

[uolmais type=”audio” ]http://mais.uol.com.br/view/13343730[/uolmais]

 ___

Abaixo, os remixes do novo CD. As 16 primeiras faixas foram feitas pelo Mister Jam.

01 – A Hora é Agora – Jorge e Mateus
02 – Eu Quero Tchu, Eu Quero Tcha – João Lucas e Marcelo
03 – Icondicional – Luan Santana
04 – Gatinha Assanhada – Gusttavo Lima
05 – Camaro Amarelo – Munhoz e Mariano
06 – Tcha Tcha Tcha – Thaeme e Thiago
07 – Lê Lê Lê – João Neto e Frederico
08 – Me Apego – Cristiano Araújo
09 – Everest – Fernando e Sorocaba
10 – Humilde Residência – Michel Teló
11 – Bolo Doido – Guilherme e Santiago
12 – Vem ni mim, Dodge Ram – Israel Novaes
13 – Sinal Disfarçado – Zé Ricardo e Thiago
14 – Tá Bagunçado – George Henrique e Rodrigo
15 – Vâmo Mexê – Bruninho e Davi
16 – Festa Open Bar – Gabriel Valim
17 – Ai Se Eu Te Pego/If I Catch You – Michel Teló e Pitbull

Jorge e Mateus gravam DVD em Londres. Confira como foi.


Jorge e Mateus gravaram na noite de hoje, em Londres, Inglaterra, o 4º DVD da carreira. A gravação aconteceu às 20h no horário local, 16h no horário de Brasília. É o primeiro DVD de um artista sertanejo gravado na Europa.

O local escolhido foi o “Royal Albert Hall”, onde foi gravado o último DVD da Adele, e por onde passaram grandes nomes da música. Em agosto passado, estive no local e contei um pouco da história dele (confira aqui).

Seis meses após terem gravado um DVD de inéditas em Florianópolis, Jorge e Mateus subiram ao palco do “Albert Hall” para um repertório de 32 músicas, das quais 31 são regravações da própria dupla, e a única de fora é “Amor pra Recomeçar”, sucesso do Frejat.

A casa não divulgou o número de pagantes, mas visualmente cerca de 3 mil pessoas estiveram presentes, próximo ao limite permitido para o show (pouco menos de 4 mil). A maior parte do público era formada por brasileiros que vivem em Londres e em outras cidades da Europa.

Durante a introdução, ainda sem a dupla no palco, um problema de som impediu o início das gravações por cerca de 10 minutos.

A dupla abriu o DVD com “Amo Noite e Dia”, maior sucesso de uma carreira que tem pouco mais de 7 anos.

Várias canções do mais recente CD da dupla, “A Hora é Agora”, estiveram presentes, como “O que é que tem?” e “Invasões”, assim como do CD “Aí Já Era”, o mais festejado da discografia deles, como “Se eu chorar”, “Seu Astral”.

No entanto, os pontos altos da apresentação ficaram por conta das canções mais antigas, que foram sucesso, mas não fazem parte do show da estrada há tempos. Entre elas, está “Pode Chorar”, primeiro sucesso da dupla, “Traz ela de volta de mim”, “Fogueira”, “O Mundo é tão pequeno” e “Querendo Te Amar” e “De Tanto te Querer”.

No meio da apresentação, houve uma pausa programada de 25 minutos.

Pessoalmente, me pareceu que o ápice de empolgação do público foi “Voa, Beija Flor”. No final da postagem, há a lista completa de canções gravadas no projeto.

O show foi encerrado com um bis de “Flor”, que havia sido cantada no início da gravação. Após o fim do show, o cantor Guilherme, parceiro do Guilherme e Santiago, entrou no palco pra cantar “Bolo Doido”.

A produção musical ficou por conta do Dudu Borges, responsável pelos últimos dois discos da dupla. Diferentemente do último DVD, gravado em Florianópolis, desta vez foi a banda que acompanha a dupla que participou da gravação, e não músicos de fora.

Boa parte dos arranjos foram preservados, com pequenas mudanças, algumas guitarras do Mateus em vez de violões. Apenas a canção “Fogueira” recebeu um tratamento a parte, ficou mais lenta e sem muito barulho. Algumas canções também receberam acompanhamento de uma orquestra.

Dirigido pelo inglês Hamish Hamilton (U2, Madonna), o DVD contou com forte investimento na questão da iluminação, já que o cenário consiste apenas em um telão no fundo do palco e dois suspensos. O grande telão atrás da banda (que pode ser visto na foto acima) foi o principal atrativo na questão visual.

Como curiosidade, a estrutura para o show só pôde ser montada hoje, como previa o contrato com a casa.

Aos interessados, será possível assistir ao DVD hoje, às 21h (horário de Brasília), em alguns cinemas da rede “Cinemark” (mais informações aqui).

Leia também: Os preparativos de Jorge e Mateus para o DVD em Londres.

___

As canções abaixo não estão na ordem em que foram apresentadas.

Intro/Amo Noite Dia
Flor
Seu Astral

Querendo Te Amar
Fogueira/Prisão sem Grade

De Tanto Te querer

Enquanto Houver Razões
Amor Covarde
O que é que tem (com orquestra)

Voa, Beija Flor/Pode Chorar
Vestígios

Um dia te levo comigo (com orquestra)

Por Que
Aí Já Era (com orquestra)

Amor pra Recomeçar
Invasões
Se eu chorar

Mistérios/Tempo ao Tempo
Eu quero só você

O Mundo é tão pequeno
Pra ter o seu amor (com orquestra)
Duas Metades
 (com orquestra)
Traz Ela De volta Pra mim

Mil Anos

A gente nem ficou
Onde haja sol (com orquestra)
Chove
A hora é agora

Gravação de DVD de Jorge e Mateus em Londres será exibida nos cinemas


Pela primeira vez na música sertaneja, a gravação de um DVD será exibida nos cinemas brasileiros.

O projeto que Jorge e Mateus gravarão no “Royal Albert Hall”, em Londres, dia 20 de setembro, poderá ser acompanhado em 21 salas de cinema de 16 cidades, após parceria fechada com a rede Cinemark.

A informação, que já circulava nas últimas semanas, foi confirmada ontem.

Os cinemas que transmitirão a gravação já foram divulgados (podem ser conferidos na imagem abaixo). Os ingressos custam R$40 (R$20 a meia entrada) e já estão à venda.

Nos cinemas, a exibição do show está marcado para às 21h. Em Londres, o show começa às 19h (15h no horário de Brasília). Ou seja, a transmissão contará com algumas horas de diferença.

O "Brazilian Day" de NY com Jorge e Mateus e Latino


Acompanhei, ontem (domingo), a 28ª edição do mais tradicional “Brazilian Day”, o de Nova York.

As duas principais atrações do evento foram Latino, que começou o show às 14h, e Jorge e Mateus, que subiram ao palco às 16h30.

Fiz a cobertura da festa para o UOL, o texto foi publicado ontem mesmo (quem quiser ler clique aqui).

Tinha curiosidade em conhecer o evento, já que rola até um certo glamour em cima dele por ser uma realização da Globo e pelo fato de ser a festa de brasileiros mais antiga do mundo.

De fato, é muita gente. Não saiu nenhum número concreto ainda, mas o curioso é que não dá pra entender de onde sai tanto brasileiro, isso realmente impressiona. Pelo menos 4 quarteirões estavam lotados de gente, e apesar de haver muitos gringos curiosos, o público era basicamente formado por brasileiros.

Outro ponto interessante é o fato de tanto no show do Latino quanto no do Jorge e Mateus, o público conhecer todo o repertório, algo que não acontecia antes da internet. Como eu escrevi na matéria do UOL, poucas foram as alterações no repertório.

O grande momento da festa ficou por conta de um choro compulsivo do Latino. Ele foi contar que morou 5 anos nos EUA, que passou muitas dificuldades, e não aguentou. Chorou mesmo e passou um recado aos brasileiros de que voltar ao Brasil não é descer na vida, vide o exemplo dele.

Abaixo, Jorge e Mateus com o apresentador Serginho Groisman.

"Nosso meio é podre e eu tenho nojo", diz Jorge sobre o mercado da música sertaneja


No último domingo (1), após o  show “Villa Mix”, em Goiânia, tive uma rápida conversa sobre mercado com o Jorge, da dupla Jorge e Mateus.

Já havíamos conversado a respeito, mas nada de forma aprofundada. Em meio a uma discussão e outra, ele disse que pela primeira vez estava com vontade de falar publicamente sobre algumas situações do meio sertanejo. A entrevista que pode ser conferida mais abaixo foi feita na noite de ontem (3), na casa dele, em Goiânia.

Além de se mostrar incomodado com os rumos do mercado e da música sertaneja, ser incisivo ao chamar o meio sertanejo de “podre” e assumir que tem “nojo” de tudo o que vem acontecendo, o cantor admitiu que já pensou em parar mais de uma vez por não aguentar determinadas situações.

Aos que não são habituados com o meio sertanejo, Jorge e Mateus têm 7 anos de carreira, e são considerados a principal dupla da nova geração, seja por repertório, faturamento, público e etc.

O cantor, de 29 anos, está incomodado, principalmente, com as rixas dentro do mercado. Rixas entre duplas, escritórios, empresários e outras pessoas importantes.

Como se sabe, apesar do sucesso, tanto ele quanto Mateus mantém uma certa distância proposital da mídia, o que torna a conversa ainda mais interessante.

Abaixo, a entrevista dividida em duas partes: mercado e música.

___

Mercado

Por que você decidiu falar agora?

A gente chegou a uma situacão insuportável, e acho que é um momento em que alguém precisa falar algo. O mercado nosso é podre, podre. Onde já se viu essa competição que acontece hoje entre duplas, entre escritórios? Nossas carreiras não são um jogo, ninguém tá competindo, ninguém vai ser campeão no fim do ano se fizer mais pontos. As pessoas estão equivocadas. Há uma briga de bastidores hoje entre os escritórios que só atrapalha. 

Hoje existem grupos isolados, escritórios que criam rixas com os outros, e isso não leva ninguém a nada. Enquanto você se preocupa demais com o que os outros tão fazendo, você tá deixando de se preocupar com seu trabalho. Eu tô com nojo, disso. Nojo.

O seu escritório também é bastante criticado…

Sem dúvida, e eu incluo o meu nisso. Os escritórios viraram ilhas e os artistas se fecharam em grupinhos. Tá todo mundo esquecendo que nós não somos nada, somos apenas cantores tentando fazer o que a gente mais gosta. A vaidade tá acabando com qualquer coisa boa que ainda restava nesse meio nosso. Se a nossa preocupação principal não for a música, a carreira tá com os dias contados.

Houve alguma passagem específica que te incomodou mais?

É muita coisa, não são acontecimentos isolados. Eu fico puto, por exemplo, com essa cultura do tapinha nas costas. Você recebe a pessoa numa boa no seu camarim, na maior boa vontade, e fica sabendo que ela vive tentando descobrir quanto foi seu último cachê, seu último público, como anda sua carreira… com qual intenção? Onde a pessoa acha que vai chegar com esse comportamento?

Não é um comportamento comum a qualquer mercado?

É diferente. Diferente porque aqui não há concorrência. Uma dupla ganhar menos não quer dizer que eu vou ganhar mais. Uma dupla sumir, não quer dizer que outra vai aparecer. Isso não é competição. Não muda nada se fulano ganha mais ou menos que eu. Você me entende? Nós temos mais de 6 mil municípios no Brasil. Tem dupla pra cobrir tudo isso? Não tem, essa visão de concorrência dentro do próprio mercado é o fim. Olha o que eu tenho, olha minha casa, minha vida… você acha que eu tenho que me preocupar se tem um cara ganhando um cachê mais alto que eu? Eu tô errado?

E quem alimenta, quem cria essas intrigas?

São coisas de bastidores. Há uma competição insana entre empresários. Eu não preciso citar nomes pra que as pessoas saibam, todo mundo no meio sabe o que acontece, mas isso precisa acabar. Isso tá estragando a vida de quem tá ali pra trabalhar, de quem vive de música. Me diz, cara, como é que uma pessoa trabalha a semana inteira, às vezes tem um dia só de folga, e consegue perder tempo pensando numa forma de derrubar uma outra dupla? Qual o benefício em ver um evento dar errado? Em geral, as pessoas precisam baixar um pouco a bola e pensar mais na própria carreira.

Critica-se muito os anos 1990, falam que os “Amigos” fechavam o mercado, que só três duplas cuidavam sozinha do mercdo, mas o que se faz hoje é muito pior. É ridículo.

Não é um pouco de romantismo da sua parte achar que um mercado tão grande não vai se comportar como qualquer mercado?

Não, não. Minha visão é realista e atual. Eu vivo isso, eu sei o que eu tô falando. Hoje nós temos 20 grandes contratantes no Brasil, e eles têm aquele menu não muito extenso de artistas que vão fazer as festas mais importantes do país. E tem cara que não sabe aproveitar, agradecer por fazer parte desse grupo seleto, sendo que a gente tem milhões de artistas querendo esses lugares. Cara não aproveita, prefere ficar gastando tempo bolando uma forma de te derrubar.

Toda a situação que você descreveu já te fez pensar em parar em algum momento?

Sim, várias vezes. Já pensei em parar, sumir, ir pra roça e ficar lá. Eu não trabalho pra viver isso, eu não sou obrigado a passar por isso, viver essas situações. O que nos mantém é que há sim relações de amizade muito firmes, pessoas que você quer muito bem e você sabe que é recíproco. Mas no geral, fazemos parte de um meio muito podre.

___

Música

A nova linha do mercado sertanejo, que trata música mais como negócio do que como arte, já tem seus resultados negativos?

Sem dúvida. É visível pra todo mundo. Hoje você compra tudo, as pessoas aprenderam isso. Paga o jabá na rádio, compra a matéria, aparece na TV, então qualquer coisa é capaz de aparecer, por isso muita coisa ruim consegue espaço. Mas aparecer e fazer sucesso são coisas diferentes. Você pode estourar uma música ruim, ganhar uns trocados, comprar um carro bom, mas em menos de um ano você já tá de volta à estaca zero por não haver base. Não adianta querer explicar o que é uma carreira de sucesso pra alguém que tá feito louco atrás de um hit.

Eu tô ficando meio grilado com esse lance de história musical. Eu não posso falar de carreira porque eu tenho 7 anos, mas eu posso falar de base, de conhecimento. Hoje tem artista que não conhece de música, não vive música, não tem noção de nada, acha que ser músico é uma profissão que você escolhe da noite pro dia pra ganhar dinheiro.

E isso ilude muita gente, não?

Exatamente, estamos criando uma geração de artistas iludidos. Música é mais dom do que meio de vida, não adianta o cara pensar que de repente música pode ser um trabalho como qualquer outro. Eu participo de festival de música desde os 8 anos de idade, e mesmo assim eu não pensava que música seria minha profissão. Essa ideia de artista como negócio, como lançamento de um produto qualquer, sem nenhuma verdade e espontaneidade, só faz criar iludidos que somem na mesma velocidade que aparecem.

E o futuro é ruim, como muito se fala dentro do próprio meio?

De forma alguma. Isso que tá acontecendo musicalmente é passageiro. Vai estourar um ruim aqui, outro ali, mas a música sertaneja não cai, não some. O romantismo vai acabar voltando a ter mais destaque, nos shows a gente percebe a reação quando você canta uma música nova romântica. 

Se um cantor novo, com investidor poderoso, te pedisse uma dica do que fazer pra começar, o que você diria?

Sinceramente, eu mandava ele esperar. Calma, deixa essa loucura passar, ela vai passar. Com a música sertaneja, com a música romântica, ninguém acaba. Vai devagar, pensa numa carreira, pensa em repertório, em um trabalho concreto, e deixa a poeira baixar um pouco.

As pessoas se esqueceram completamente que quem escolhe o sucesso é o público. Não é o empresário, o cantor, o escritório ou o dinheiro. É o público. Você pode fazer barulho, reclamar, xingar, gastar dinheiro, mas se as pessoas não gostarem, você não é ninguém, a música não é nada. Você pode ter 5 milhões pra investir e gastar esses 5 milhões sem ter nenhum retorno.

Você já viu um show do Amado Batista? Já foi em um show do Leonardo? Aquilo é a resposta: povo. O sucesso quem escolhe é o povo, é a massa, é o lance da identificação, e isso parece ter sido completamente esquecido. É por isso que no meio você ouve falar de um monte de “sucesso”, mas quando chega na vida real, vê que é tudo mentira. Isso aqui é vida real. 

Irmão de sertanejo sofre acidente grave, mas escapa sem ferimentos


Na madrugada de segunda pra terça, Heitor Oliveira, irmão do cantor Mateus, da dupla Jorge e Mateus, sofreu um acidente de carro na BR-153, na altura de Itumbiara-GO.

Heitor estava com um amigo, e apesar de o carro ter capotado, os dois não sofreram nada mais grave. Heitor não se machucou, e o amigo sofreu ferimentos leves.

Por ter recusado a fazer o teste do bafômetro, Heitor teve a CNH apreendida, além de receber uma multa de R$957,70.

Para quem não conhece, Heitor é assessor pessoal do Mateus, os dois estão juntos em todos os shows.

Abaixo, a imagem de como ficou o Volkswagen Jetta, que perdeu uma das rodas dianteiras.

Gravado em Jurerê, Jorge e Mateus lançam vídeo de "Flor"


Durante o feriado, foi lançado o primeiro vídeo do novo DVD de Jorge e Mateus, gravado em março, em Jurerê Internacional, Florianópolis-SC.

O vídeo é da canção “Flor”, atual música de trabalho. Como pode ser visto pelas imagens abaixo, a música foi gravada na primeira parte do DVD, ainda com sol, e é possível ver o quão reservado era o local.

Apesar de toda a beleza natural, as imagens noturnas não devem surpreender menos, principalmente por conta dos efeitos do cenário.

___