Universo Sertanejo

DESTAQUES

Hugo e Tiago renovados


Como comentado aqui, Hugo e Tiago gravaram o primeiro DVD da carreira no mês passado. A dupla, que havia produzido seu último disco com o Rick, colocou Pinochio e Ivan Miyazato como responsáveis pelo novo trabalho.

Como também já comentado aqui, após a saída de Guilherme e Santiago, Hugo e Tiago viraram a principal aposta da HRP, que tem um histórico recente muito bem sucedido justamente com Guilherme e Santiago.

A primeira música desse novo projeto – ou quem sabe da “nova fase” -, pode ser conferida abaixo. A canção se chama “Ninguém tem nada com isso”.

[uolmais type=”audio” ]http://mais.uol.com.br/view/10555797[/uolmais]

João Bosco e Vinícius gravam bolero com Bruno e Marrone


O novo CD da dupla João Bosco e Vinícius sai em maio, e virá com algumas parcerias. Desde a semana passada, eles trabalham a canção “Abelha”, ao lado de Jorge e Mateus.

Outra parceria é com a dupla Bruno e Marrone, em um bolero chamado “Mais Uma Dose”.

Ouçam…

[uolmais type=”audio” ]http://mais.uol.com.br/view/10510480[/uolmais]

___

Mais uma dose
(Tonny e Kleber)

Mais uma dose
Por que ela não vem
Será meu destino
Ficar sem ninguém?

Mais uma dose
Eu quero esquecer
A mulher que eu amo
Só me faz sofrer

São noites em claro
E os dias passando
Em meus devaneios
Eu vou respirando

Meu grito é o silêncio
Na dor de amar alguém
A ponto de esperar
Por uma vida inteira
Sem saber se ela vem

Pra valer a pena
O tanto que eu esperei
Pelo amor dessa mulher
Quero mais uma dose
Hoje ela não vem

Cezar e Paulinho gravam DVD “Alma Sertaneja”


Cezar e Paulinho gravaram, na noite dessa quarta-feira (13), o segundo DVD da carreira.

O projeto, no entanto, não faz um resumo do que foi a carreira da dupla. Trata-se de um DVD especial chamado “Alma Sertaneja”, com repertório focado quase inteiramente em modas tradicionais, homenageando nomes como Teddy Vieira, Catulo da Paixão Cearense, José Fortuna e Tião Carreiro.

Da gravação, participaram Chitãozinho e Xororó, Inezita Barroso, Sérgio Reis, Craveiro e Cravinho e Ed e Fábio (filhos de Cezar). O repertório completo está postado ao final desse texto, com exceção das duas inéditas que também entraram no DVD.

O local da gravação foi um dos estúdios da TV Século 21, em Valinhos, interior de São Paulo. Havia um auditório para cerca de 300 pessoas, todas convidadas, e algumas cadeiras colocadas próximas ao palco, por conta do projeto cenográfico.

A dupla explicou que o DVD era uma vontade antiga, que eles encaravam também como uma forma de agradecimento por tudo que as raízes do sertanejo fizeram na carreira e na vida deles.

Não sei se é preciso dizer, mas como o DVD era de Cezar e Paulinho, o bom humor esteve presente até nas pausas cansativas comuns a esse tipo de gravação.

Todas as participações foram emocionantes, mas a de Amaraí ao lado de seu filho parece ter mexido mais com a dupla, que teve muito contato na infância com o falecido Belmonte.

Inezita, que entrou no palco com ajuda da produção por ter sofrido uma queda e fraturado o joelho, ouviu as brincadeiras de Paulinho e fez as suas, rindo inclusive de sua situação debilitada. Quem também não deixou de fazer graça foi Sérgio Reis, que escolheu a inusitada “Disco Voador” para cantar, já gravada por ele anteriormente.

Grande parte do DVD se concentrou em uma roda de viola feita pelos anfitriões ao lado de Craveiro e Cravinho (Craveiro é pai de Cezar e Paulinho) e Ed e Fábio (filhos de Cezar).

Juntos, cantaram “Geração de Cantador”, “Sementinha”, “Ser Feio não é Defeito” e, obviamente, “Franguinho na Panela”.

Como era de se imaginar, a participação que causou mais barulho foi a de Chitãozinho e Xororó, que entraram para cantar as últimas músicas do DVD.

Além de as duas duplas cantarem “Terra Tombada” juntas, um pedido do Xororó abriu uma exceção no DVD. Canções antigas de Cezar e Paulinho não entraram no repertório, mas como Xororó disse que “Você é Tudo que pedi pra Deus” era uma canção importante na sua vida, pois a ouvia muito quando sua dupla ainda não era nada conhecida, a canção acabou entrando no repertório, cantada também pelos quatro.

No encerramento, todos os convidados se reuniram para cantar “Luar do Sertão”, hino sertanejo escrito por Catulo da Paixão Cearense.

O DVD gravado ontem, “Alma Sertaneja”, deve ser lançado no início do segundo semestre.

Abaixo, Paulinho e Amaraí.

___

Alma Sertaneja
Tocando a Boiada
Pai João
Saudade da Minha Terra (com Amaraí e seu filho)
Chico Mulato
Cavalo Preto (com Inezita Barroso)
Vaca Estrela e Boi Fubá
Chuá Chuá
Disco Voador (com Sérgio Reis)
Couro de Boi
Geração de Cantador (com Craveiro e Cravinho e Ed e Fábio)
Franguinho na Panela (com Craveiro e Cravinho)
Sementinha (com Ed e Fábio)
Ser Feio não é Defeito (com Craveiro e Cravinho e Ed e Fábio)
Navalha na Carne
Com Deus na Frente
Bom Jesus de Pirapora
Obrigado ao Homem do Campo
Cheiro de Relva
Terra Tombada (com Chitãozinho e Xororó)
Você é Tudo que Pedi pra Deus (com Chitãozinho e Xororó)
Luar do Sertão

Programa Universo Sertanejo #66


Fala, pessoal.

Entrou no ar, no fim da tarde de ontem, a 66ª edição do programa Universo Sertanejo, na Rádio UOL.

Nessa edição, além de falar dos DVD’s de Bruno & Marrone e Jorge & Mateus, ambos sem data definida, coloquei na programação o lançamento do Michel Teló, “Larga de Bobeira”.A canção faz parte do DVD do cantor, e foi escolhida essa semana como a nova música de trabalho dele.

Além de Michel, canções de Zezé di Camargo e Luciano, Amado Batista, Jorge e Mateus, Victor e Leo e, pela primeira vez no programa, Zé Fortuna e Pitangueira. Atendendo a pedidos, está nesse programa a versão que o Calypso fez para “Entre Tapas e Beijos”.

Para ouvir o programa, basta clicar na imagem abaixo.

___

01. Michel Teló – “Larga de Bobeira”
02. Jorge e Mateus – “Sou seu astral”
03. Victor e Leo – “Água de Oceano”
04. Zezé di Camargo e Luciano – “O que vai ser de nós”
05. Gusttavo Lima – “Cor de ouro”
06. Jads e Jadson – “Casa caída”
07. Humberto e Ronaldo – “Tô vendendo beijo”
08. Amado Batista – “Amor, meu louco amor”
09. Hudson e Donizeti – “Lágrimas da alma”
10. Calypso – “Entre tapas e beijos”
11. Eric e Matheus – “Pó pegá”
12. Zé Fortuna e Pitangueira – “Oceano da Vida”

Os pés pelas mãos


*Atualizado: a dupla Léo e Júnior se manifestou nos comentários. A resposta está em negrito, assinada pela própria dupla.

De uns anos para cá, os grandes serviços de disparo de emails sobre o meio musical estão sendo utilizado muitas vezes com intuito não só de divulgação de um artista ou trabalho, mas como forma de provocação, um jeitinho de “cutucar” algum concorrente. Até aí, vai do perfil de trabalho de cada um.

Só que com a crescente importância desse serviço, já que cada vez mais gente está na internet, a ansiedade para anunciar algo ao mercado tem resultado em casos não muito bem sucedidos.

O exemplo do momento é o que se passa por trás da dupla Léo e Júnior. Os rapazes, de São Paulo, cresceram bem no ano passado, e a música “Ô, lá em casa” tem conseguido uma aceitação boa em grandes praças.

No começo desse mês, foi divulgada a notícia de que eles haviam se desligado do antigo escritório e assinado com o Hamilton, figura conhecida da maioria aqui, ex-empresário do Daniel e Guilherme e Santiago.

Abaixo, a nota divulgada via “Show Business” (empresa líder no disparo de emails), no início desse mês.

Na início da tarde de hoje, no entanto, chegou uma outra nota, disparada pela mesma “Show Business” e assinada pela “KS Music”, negando a informação anterior.

Em alguns dias, alguma outra nota deve ser divulgada explicando o que se passa, mas o intuito aqui é mostrar mesmo que apesar de o meio sertanejo ter crescido tanto e se tornado bem mais profissional nos últimos anos, tem coisa que, como diria o Tião Carreiro, “só mesmo eu contando, ninguém acredita”.

Brinquedos sertanejos


A partir do mês que vem, os fãs de Luan Santana poderão comprar dois bonecos inspirados no cantor. Um, naquele estilo caricato, com a cabeça grande, que custará R$59,90, e outro “normal”, que será vendido por R$69,90.

Os bonecos fazem parte da série de produtos que Luan vem licenciando desde o ano passado. Atualmente, em sua loja virtual, o cantor comercializa camisetas, pulseiras e colares, entre outras lembranças. O lançamento dos bonecos e os demais produtos foram assunto, ontem, na coletiva de imprensa que o cantor realizou por conta do lançamento de seu DVD.

Os bonecos serão apresentados hoje, dia 13, na Feira Nacional do Brinquedo (ABRIN), em São Paulo.

Por curiosidade, bonecos de cantores sertanejos não são novidades. Abaixo, para quem não se lembra, miniaturas de Zezé di Camargo e Luciano, com direito a colete e tudo mais. Artigo raro, os bonecos, juntos, podem ser encontrados por até R$169 na internet.

As primeiras canções de Hudson e Donizeti



Após o anúncio da nova parceria e de algumas apresentações na televisão, Hudson e Donizeti, que formam o “Projeto HD”, já estão com músicas prontas.

Na semana passada, publiquei um áudio retirado da TV com a canção “Lágrimas da alma”, regravação de Belmonte e Amaraí.

Regravações repaginadas costumam não dar certo, mas ao que parece por essa música, Hudson começa a mostrar seu lado produtor tão elogiado quando cantava com o irmão.

Abaixo, a versão em alta qualidade de “Lágrimas da alma”. Em seguida, também em alta qualidade, “Morena”, outra regravação de Belmonte e Amaraí. Na primeira música, Hudson faz a primeira voz. Na segunda, inverte.

Antes que perguntem, o primeiro CD da dupla não será só de regravações. Serão essas e, provavelmente, mais duas.

Só para citar, Hudson está em estúdio, atualmente, produzindo o novo trabalho de Léo Canhoto e Robertinho.

[uolmais type=”audio” ]http://mais.uol.com.br/view/10419430[/uolmais]

___

[uolmais type=”audio” ]http://mais.uol.com.br/view/10419418[/uolmais]

Victor e Leo, Barretos, Chico Rey, Jads e Jadson…


Victor e Leo

Após Victor e Leo vencerem, anteontem, o “Troféu Imprensa” como melhor dupla sertaneja, e causarem mais uma vez reclamações de fãs de outros artistas, o cantor Victor deixou uma mensagem no Twitter.

“Grato pelos troféus!Mas ninguém é “o melhor”.Uma vez que a disputa e a ignorância são adubos p a violência,o melhor é “trabalhar”! Victor C.”

Desde o ano passado, quando venceram o “Prêmio Multishow”, fãs de outras duplas têm levantado desconfianças quanto a idoneidade dos prêmios. Esse ano, a dupla também venceu o “Melhores do Ano”, do Faustão.

___

Chico Rey e Paraná

Como noticiado aqui recentemente, a dupla voltou a fazer shows após um período de internação de Chico Rey. No entanto, por estar em uma fase de recuperação, o cantor ainda está um pouco debilitado. Durante um show, no último final de semana, Chico Rey deixou o palco antes do final da apresentação.

___

Jads e Jadson

Os cantores, ao lado de João Carreiro e Capataz, são os maiores defensores do estilo “bruto” de se fazer sertanejo. Diversas canções gravadas por ambas as duplas são parcerias de João Carreiro e Jadson. Ontem, segunda-feira, eles lançaram a canção “Casa caída”, lenta e de letra dramática, estilo que agrada muita gente.

[uolmais type=”audio” ]http://mais.uol.com.br/view/10356056[/uolmais]

___

Barretos

Hoje, terça-feira, acontece em Barretos um café da manhã dos organizadores do rodeio de Barretos com a imprensa, para que seja apresentado, entre outras coisas, o projeto da 56º Festa de Peão de Barretos. Lembrando que a última edição, no ano passado, foi uma das mais conturbadas. Além da aposta não muito bem sucedida na cantora Mariah Carey, a noite que reuniu Luan Santana e Jorge e Mateus teve relatos de confusões e agressões.

___

Festas

E a temporada de festas sertanejas começou forte. Na semana retrasada, aconteceu o “Country Festival”, em Curitiba. Desde a semana passada, está sendo realizada a “ExpoLondrina”, que ontem, em plena segunda-feira, recebeu 25 mil pessoas em uma apresentação de Jorge e Mateus. Nesse próximo final de semana, acontece em Campo Grande a “ExpoGrande”.

___

Arena Coberta

Comentei, na semana passada, sobre o rodeio que pretendia ter a maior estrutura coberta do país (tornou-se uma das maiores, mas ainda há outras superiores), o “Rio Preto Rodeo Show”, em São José do Rio Preto. O evento foi realizado durante o último final de semana, e a estrutura pode ser conferida na imagem abaixo.

Eduardo Costa fala sobre seu novo DVD


No mês passado, Eduardo Costa lançou o segundo DVD da carreira, “Pele, Alma e Coração – Ao Vivo”, seu primeiro trabalho pela Sony Music.

Diferentemente de 5 anos atrás, quando lançou o primeiro DVD, Eduardo já não gera desconfianças quanto a seu estilo musical, e deixou de ser um artista muito discutido para se tornar uma realidade.

Cantor popular com maior destaque nos últimos cinco anos, seu grande mérito foi ter se segurado em algumas tradições sertanejas enquanto uma nova música sertaneja passava a dominar o mercado.

Seu novo DVD é um resumo do que Eduardo Costa se transformou nos últimos anos. O novo trabalho traz as participações de Paula Fernandes, Belo, e da dupla Alex e Konrado.

Conversei com o cantor sobre esse novo trabalho, e transcrevo a conversa abaixo.

___

Seu segundo DVD sai comemorando os últimos 5 anos do cantor sertanejo mais popular do país dessa nova safra de artistas. O que te fez chegar a esse posto?

Eu, Eduardo Costa, sou povão, eu vim do povão. E pelo fato de ser assim, eu sei o que o povo quer ouvir. Eu não me prostitui, eu não caí pra banda de ninguém. Eu pus na cabeça que eu sabia o que estava fazendo e fui embora, sem ficar bandeando pra outros estilos musicais. Claro que a gente tem que adequar nossa música, ninguém pode ficar tentando enfiar música goela abaixo. Só que nessa adaptação, eu não esqueci meu público. Eu sei o que eles querem ouvir e eu sei fazer o que eles querem ouvir.

E qual a origem de uma música tão popular, que apesar de ter a base sertaneja, vem misturando outros estilos, como o samba?

Eu tenho uma personalidade musical muito forte, eu sei do meu trabalho. Eu sempre ouvi Amado Batista, Odair José, Reginaldo Rossi, Valdick Soriano, Lindomar Castilho, Antônimo Marcos, Jessé. Eu ouvi muito eles todos. Depois ouvi demais Zezé, Leandro e Leonardo, Chico Rey e Paraná, e principalmente o Trio Parada Dura. A gente acaba tirando muita coisa de boa de tanto ouvir, e todos esses que eu citei foram muito populares. O Barrerito, por exemplo, tinha uma lágrima na garganta que eu sempre tentei fazer igual. As pessoas querem emoção, querem ouvir uma música bonita e se emocionar. Meu sucesso é saber emocionar as pessoas.

Sua primeira música de trabalho, “Quem é?”, é um samba. Uma das canções mais faladas do DVD, “Pé de macaco”, também. Vai ser uma tendência na sua carreira?

Eu sempre gostei muito de samba, sempre ouvi e toquei samba. Se você pegar os últimos discos, “Cachaceiro” e “Não vou parar de beber” são sambas. Eu aproveitei esse momento bom do samba romântico, com o Exaltasamba, Revelação e o Belo, e juntei com o sertanejo, que também tá em alta. O samba romântico tem uma popularidade muito alta, então a música “Quem é” vem num momento certo.

A participação do Belo também se aproveita desse momento do pagode?

Eu acho que o Belo é o Eduardo Costa do pagode, do samba. É o cara que arrasta multidões nos shows, canta pro povão mesmo, isso sem ter nada de mídia em cima dele. Acho ele uma das vozes mais bonitas de ouvir do samba. Gosto muito dele e do Alexandre Pires, são meus amigos, e fiquei entre os dois pra decidir uma participação. Como o Belo nunca tinha cantado com um sertanejo, achei que a parceria ia ser muito boa pra nós dois.

Cinco anos sem gravar um DVD não é muito tempo, já que há artistas gravando quase um por ano?

Não, de maneira nenhuma. O que tá acontecendo é que estão banalizando o DVD. Eu não banalizei, não joguei um DVD por ano no mercado, não exagerei na dose com meus fãs. Tô lançando um DVD depois de cinco anos, isso faz com que a pessoa tenha vontade de assistir, de acompanhar o repertório, de reviver com você os últimos anos da sua carreira. Um DVD, pra mim, é releitura de sucessos misturada com canções novas, diferente do que o povo de hoje tá acostumado. Um show inteiro com músicas inéditas, que seu público não conhece, fica muito frio, você perde o calor do público, fica até sem sentido fazer o DVD, já que ninguém ali vai cantar com você. Se o povo não conhece e não vai cantar nada, pra que gravar?

…é que lançar um DVD ajuda a divulgar a imagem, além da música…

Eu sei que é uma escolha, mas ainda assim eu acho errado você gravar DVD como você grava CD. Não tô dizendo que eu sou o único cara certo e que tá todo mundo errado, os anos podem mostrar que eu preciso mudar de pensamento e eu vou mudar. Só que pelo que eu vejo hoje, ficar lançando DVD como se lança CD prejudica o próprio artista.

Das mais de 20 músicas do DVD, só 8 são inéditas. Não é muito pouco?

Tem uma discussão muito chata no sertanejo hoje sobre esse negócio de regravação.  São 8 canções inéditas no DVD, mas há outras que são quase 100% inéditas. A “Paguei pra ver”, por exemplo, foi gravada em um disco do Zezé em outro estilo, totalmente diferente, e não foi trabalhada por eles, não tocou na rádio, não foi utilizada. Então não dá pra considerar nem regravação. A mesma coisa com “Eu quero te amar”, que algumas pessoas conhecem, mas a grande maioria nunca ouviu.

As pessoas que discutem esse tipo de coisa deveriam lembrar que o artista faz um trabalho pro seu público. O meu público, na maioria, não conhece “Nenhuma Esperança”, do Milionário e José Rico. Eu cantei no DVD e a maioria não cantou junto. Pro meu público, que vai assistir meu DVD em casa, a música é uma novidade. Eu tenho gente jovem na minha plateia, gente que não é viciada na história do sertanejo, então não conhece muita coisa. Meu público é minha primeira preocupação, depois é que eu vou pensar no que o resto vai achar.

A música com a Paula, “Meu grito de amor”, você não considera regravação?

O Leonardo já tinha gravado, mas foi um sucesso que todo mundo ficou conhecendo? Se você for ver, 90% do pessoal hoje não conhece essa música, então eu não vou colocar na cota de regravação, falar que é música antiga. A música sertaneja tem um repertório imenso que não foi aproveitado. Não vou deixar de gravar uma música só porque alguém já gravou e deixou escondida num trabalho.

Entendi…

Posso deixar um recado?

Pode.

São duas coisas. Primeiro eu queria agradecer quem realmente me abraçou, principalmente os radialistas e o meu público. Eu sou um cara que saiu do povo e fui pra mídia. Não tive um trabalho que me colocou na mídia, eu fui fazendo sucesso lá embaixo e conquistando espaço aos poucos, então queria agradecer mesmo a todo mundo que me ajudou. A outra coisa é a seguinte, coloca aí no blog: quem fala mal da minha carreira e de mim, eu quero é que vá se lascar.

Comentando…


Essa semana foi movimentada no blog, por conta do lançamento da música do Rick, que tomou proporções que eu mesmo não esperava, já que outras canções da carreira solo dele foram postadas por aqui esse ano, e principalmente por causa da matéria sobre Zezé di Camargo e Luciano.

Quem não leu por ser muito extensa, e nesse sábado está com mais tempo, sugiro que dê uma olhada no texto (clique aqui), pois ele fala um pouco da popularidade da dupla e da fidelidade dos fãs, fatores que ajudam a explicar vinte anos de uma carreira bem sucedida.

Aproveito também o sábado para postar o clipe novo do Rick, bem diferente do que a gente está acostumado para clipes sertanejos. Quem quiser assistir, basta clicar abaixo.

Bom sábado a todos =)