Os 20 anos dos “Amigos”

Boa parte dessa história está contada no livro “Bem Sertanejo“, mas vale trazer esse assunto pra cá.

Recentemente, em entrevistas sobre o lançamento do livro, me perguntaram algumas vezes se o quadro “Bem Sertanejo”, do Fantástico, havia sido proposto pela equipe do Teló ou pelo Fantástico.

Por mais que eu imagine que boa parte dos leitores saiba disso, a pergunta mostra que não é tão claro ainda pra muita gente.

O quadro foi pensado e apresentado, sim, pelo escritório do Michel, aceito pelo Fantástico, e produzido em parceria. A ideia de um projeto sertanejo vir de fora e a Globo topar não é exatamente uma novidade.

Amigos-4

Nem todos se lembram do ano exatamente, mas há 20 anos, em 1995, estreava o especial “Amigos”.

E, diferentemente do que muitos pensam, o projeto saiu da cabeça dos próprios artistas.

Embora as carreiras das três duplas estivessem em ótimo momento, havia uma conversa de bastidores que gerou preocupação nos cantores: a emissora, segundo se ouvia por aí, pretendia dar mais espaço a outros gêneros, diminuindo um pouco a exposição dos sertanejos (que era grande). Naquele momento, o axé começava a surgir nacionalmente com bastante força.

Reunidas, as três duplas decidiram que era o momento de unir as forças. Pensaram em um mega show, pra impressionar, bancariam do próprio bolso, e entregariam tudo pronto pra Globo. Se ela não topasse, iriam tentar outra emissora.

Para dirigir o projeto, escolheram Aloysio Legey, diretor da emissora.

Zezé explica: Chitão e o Xororó sugeriram o Legey pra dirigir, que tinha dirigido um show deles. O Legey falou: “Posso ajudar, mas só posso dirigir se for exibido na Globo. Posso mostrar pro Boni?” O Boni ainda era diretor da Globo. Ele chegou no Boni e disse “Esse é o projeto deles e eles vão fazer de qualquer maneira. A Globo comprando ou não, eles vão fazer por conta deles”. E o Boni respondeu “Nem ferrando que isso aqui vai sair da minha mesa. Fala pra eles que a Globo vai bancar tudo. É da Globo”. O nome “Amigos” veio do Legey. 

Até hoje, 20 anos depois, o “Amigos” é o projeto de maior impacto que a música sertaneja já produziu.

Comente!

___

6 Comments

  1. Ia ser muito bom a Globo Marcas disponibilizar os shows na íntegra e se possível agregar conteúdos extras, como músicas que não foram ao ar (Menino da Porteira no show 1, Saudade de minha terra no show 2, e por aí vai…)

  2. Saudades dessa época… Os artistas da atualidade devem usar as músicas de Zezé di Camargo & Luciano, Chitãozinho & Xororó e Leandro & Leonardo como inspiração para suas carreiras. Isso sim é música sertaneja da cidade. Hoje, eu vejo poucos artistas (quase nenhuma entre as mais populares) usando nomes do quilate dessas 3 duplas e outras do mesmo nível para usar como espelho…

  3. A melhor epoca do sertanejo , e acho dificil na minha opiniao ter outra epoca que nem essa no sertanejo , as 3 maiores duplas de todos os tempos … so bruno e marrone chego perdo desse mostro chamado amigos , melhor que os anos 80 melhor que a musica lixo que temos que so alguns se salvam

  4. AMIGOS é AMIGOS, não desmerecendo os festivais tipo villa mix que acontecem hoje em dia, parece que existe uma atmosfera diferente que cerca esse projeto até hoje. O último especial de fim de ano foi feito em 1999 e desde então eu como muitos fãs por aí esperam todo ano ansiosos a volta desse especial.

  5. Não consigo entender pq os cinco não fazem um dvd nos dias de hoje desse especial. Aliás a data é sugestiva, 20 anos. ia ser um arraso.
    Diz ai André???

  6. A única coisa que lamento é a Globo não disponibilizar até hoje os 4 especiais inteiros!

Deixe um comentário